Lenda VET CAT Urinary & Struvite

Não existem análises Não existem análises
Alimento deitético completo extrudido para gatos adultos para a dissolução e redução de cálculos de estruvita..

* Esto es un aviso de muestra

Tamanho
$27.00

  • Propriedades da sub saturação da urina
  • Propriedades da acidificação da urina
  • Redução do Magnésio em 0,18%
  • PNP 17 e PNP 18

Ingredientes

Frango (proteína de Frango desidratada mín. 25%, Frango fresco sem osso* mín. 10%), Batata*, leguminosas (Lentilhas* mín. 5%), hidrolisado de Fígado de aves, gordura de Frango, levedura de Cerveja (Saccharomyces cerevisiae), lignocelulose, óleo de Salmão, Krill desidratado (Euphausia superba, fonte de ácidos gordos Omega-3 e astaxantina), farinha de alfarroba*, FAEC Complete (extrato de Yucca schidigera, produtos à base de levedura, (Saccharomyces cerevisiae, como fonte de MOS e nucleotídeos), glucosamina, sulfato de condroitina, metilsulfonilmetano, raiz de Chicória, Salvia rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum), FAEC Inmune (óleo de microalga Schizochytrium sp. (fonte de ácidos gordos Omega 3 DHA), Panax ginseng, Punica granatum, Zingiber officinale, Urtica dioica, Camellia sinensis, Curcuma longa, Harpagophytum procumbens), Cenoura, Abóbora, Maçã, Ovo inteiro desidratado, folhas de Moringa Oleifera, FAEC ProbioDigestive (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum, Lactobacillus acidophilus, Lactobacillus rhamnosus).-* Matérias-primas naturais.

Substâncias acidificantes da urina: ácido fosfórico, sorbato de potássio.

Constituintes analíticos

Proteína bruta 34%, Grasa bruta 14%, Ceniza bruta 7.5%, Fibras brutas 3.5%, Calcio 1.2%, Fósforo 0.8%, Potasio 0.9%, Sodio 0.2%, Magnesio <0,1%, Cloruro 1.7%, Azufre 0.3%, DHA+EPA 0.37%, EM 3755 Kcal/Kg.

Dissolução e redução da reaparição de cálculos de estruvite. Doenças das vias urinárias inferiores dos felinos. 

Em gatos, uma das causas mais frequentes que requerem atenção veterinária é o conjunto de doenças que afetam as vias urinárias, e que apresentam sintomas muito similares, como a dificuldade e/ou dores no ato de urinar, hematúria ou polaciúria e entre outras. Agrupados abaixo no acrônimo FLUTD (Feline lower urinary tract disease). A sua causa principal é a cistite idiopática, e com menor prevalência, a urolitíase. 

Dentro da segunda causa, encontramos diferentes tipos de cálculos: cálculos de Oxalato que apesar de serem os mais relevantes quando se fala em casos, não chegam a ser tantos como os de estruvite, que é estimado que sejam 60% dos casos e que são o tipo de cálculos objetivo desta receit, tanto para a sua dissolução, algo que não é possível nos casos de Oxalato, como para o seu controlo e evitar a sua reaparição. Fatores que predisponham o desenvolvimento destes cálculos seriam: o sexo, tendo uma maior presença nas fêmeas; a esterilização, o sobrepeso, uma vida sedentária, a idade e também a presença de outras doenças como a Diabetes.

O tratamento de qualquer urolitíase recolhe uma série de aspetos comuns a considerar, desde a modificação nutricional como a limitação proteica da dieta, mineralização controlada, acidificantes da urina e dos recursos que favoreçam uma ingestão superior de água para reduzir a saturação da urina; passando pela colocação de pontos de bebida em diversas estâncias, inclusivamente o controlo da água corrente ou substituição por água engarrafada selecionada expressamente; o fator dietético é bastante importante e nem sempre é valorado.  

A baixa ingestão de líquidos provoca uma sobre saturação da urina, o que favorece a precipitação de fósforo e magnésio que podem formar cristais e danificar as paredes da bexiga; este dano pode acontecer por CIF ( Cistite Idiopática Felina), desencadeada por fatores estressantes para o gato e associar-se a certa predisposição genética. 

Em relação à adaptação nutricional para a sua correção e prevenção, as substâncias acidificantes da urina irão reequilibrar o pH alterado que favorece a formação de cristais junto da correção da concentração de magnésio e fósforo. Ambos os requerimentos deveram por-se em conjunto uma vez que a formação de cristais de fosfato amênico magnésico depende especialmente do pH, com uma ligeira correção do mesmo até 6,0. Os resultados são notáveis em quanto à dissolução dos cristais e cálculos.

O uso de probióticos, especialmente Estirpes de Lactobacillus, poderiam ajudar à recuperação do desequilíbrio na microbiota, consequência do possível tratamento farmacológico, reequilibrar a flora da bexiga e igualmente, por esse mesmo motivo, limitar a possível infeção bacteriana ou consequência da inflamação das paredes da bexiga. Assim sendo, o uso de MSM e glucosamina, em diferentes formas, podem reducir semelhante inflamação, uma vez que podem ser efetivos na prevenção de ditos cálculos.

 Estes ajudam a movimentar as células patógenas e como efeito adicionado, potencializam o crescimento e replicação de flora intestinal que teria sido afetada por o uso de antibióticos para combater possíveis infeções urinárias.