Lenda VET Pancreatic

Avaliação: 5.0 de 5.0 (1)

Alimentos dietéticos completos extrudidos para cães adultos indicados para o tratamento nutricional da insuficiência pancreática exócrina (IEP) e da insuficiência pancreática crónica. Alimento altamente digerível, com ingredientes altamente digeríveis e Kcal adequado.

* Esto es un aviso de muestra

Tamanho
$25.00

  • Formato 2 - 10Kg.
  • Ingredientes altamente digeríveis
  • Baixo teor de gordura e fácil digestibilidade da gordura
  • Rico em ácidos gordos
  • Kcal adequado
  • Probióticos para combater a disbiose

Ingredientes

Pescado deshidratado, Arroz integral, proteína de Guisante, aceite de Salmón, almidón de Patata, aceite refinado de Pollo, levadura de cerveza (Saccharomyces cerevisiae), hidrolizado de hígado porcino, almidón de Guisante, Huevo entero en polvo, harina de zooplancton marino (Krill, fuente de ácidos grasos Omega 3), hortalizas (Boniato, Guisantes, Habas verdes, Zanahoria, Alcachofa), colágeno hidrolizado, FAEC Complete (extracto de Yucca schidigera, productos de levadura (Saccharomyces cerevisiae, como fuente de MOS y nucleótidos), glucosamina 500 mg/Kg, sulfato de condroitina 500 mg/Kg, metilsulfonilmetano 250 mg/Kg, raíz de Achicoria, Salvia rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Cynara scolymus, Silybum marianum), FAEC Digestive (productos de levadura (Saccharomyces cerevisiae, fuente de MOS y nucleótidos), raíz de Achicoria (fuente de inulina), Salvia rosmarinus, Melissa officinalis, Taraxacum officinale, Salvia officinalis, Minthostachys verticillata, Vaccinium macrocarpon, Cynara scolymus, Silybum marianum), levadura de Cerveza (Saccharomyces cerevisiae), harina de Garrofa (Ceratonia siliqua), sulfato de condroitina, glucosamina, metilsulfonilmetano, Harpagophytum procumbens, Punica granatum, FAEC Probio (Enterococcus faecium, Lactobacillus plantarum).

Componentes analíticos

Proteína 25%, Grasa bruta 11%, Ceniza bruta 6,5%, Fibras brutas 2,7%, Humedad 10%, Calcio 1,1%, Fósforo 0,8%. EM 3570 kcal/kg

Tratamento nutricional da insuficiência pancreática exócrina (PEI) e da insuficiência pancreática crónica
Entre as patologias mais comuns que afectam o pâncreas do cão, podemos distinguir 2 predominantes: pancreatite, como inflamação do pâncreas, e perda de massa funcional, IPE ou insuficiência pancreática exócrina.
A EPI em cães é uma patologia muito mais disseminada do que pensamos. É a incapacidade do pâncreas de secretar uma quantidade adequada de enzimas devido à perda de massa funcional, tornando a digestão normal de proteínas, gorduras e hidratos de carbono difícil ou impossível.
Devido à sua natureza, pode levar a um estado de desnutrição e torna necessária uma boa digestibilidade dos nutrientes e níveis adequados de nutrientes. Relacionando isto, observamos que os principais sintomas de um cão afectado por EPI é um aumento do volume e frequência de fezes (geralmente macias, esteatorreia); um aumento do apetite mas com perda de peso e massa muscular, bem como um pêlo baço, entre muitos outros sintomas muito díspares. Isto pode levar a alterações de comportamento, vómitos, problemas dermatológicos, etc.
É comum considerar que a dieta adequada para o tratamento da Insuficiência Pancreática Exócrina deve conter uma elevada digestibilidade dos nutrientes e um nível adaptado de gordura, isto deve-se à dificuldade dos lípidos a serem assimilados, bem como um nível de fibra inferior a uma receita comum.

Sobre a utilização de probióticos na dieta dos doentes pancreáticos, quer pancreatite, especialmente aguda, quer PAE, existem estudos anteriores que sugerem melhorias na qualidade de vida do animal, embora ainda necessitem de mais investigação. Como efeito, a Insuficiência Pancreática Exócrina leva à disbiose intestinal e o tratamento antibiótico e outro agente que pode afetar a saúde gastrointestinal, pelo que se recomenda o uso de probióticos.
Como doença potencialmente fatal, aconselhamos uma boa orientação profissional do seu veterinário com, provavelmente, suplementação com enzimas pancreáticas e, em alguns casos, cobalamina.